A DÉCADA CULTURE FIRST

E A FILOSOFIA DO ESPAÇO DE TRABALHO

Posted by Otto Ribeiro 24 de Janeiro de 2021

A década Culture First é um conceito visto, pela primeira vez, em um estudo do Glassdoor, lançado em 12 de novembro de 2019. A ideia, de maneira superficial, é que mais do que salários, benefícios e status, as pessoas serão amplamente influenciadas por sua afinidade com as empresas em que estão, no sentido de abraçarem a cultura e os valores por trás das organizações que representam. Boa parte dessa premissa é baseada a partir do Business Roundtable, grupo onde participam cerca de 200 CEOs das principais empresas do mundo. Em um recente documento, o grupo declarou que os acionistas já não representavam mais o propósito central dessas companhias; esse espaço agora é pertencente aos colaboradores. De fato, um discurso bonito e contundente, mas o que isso representa na prática? Veremos!

A MUDANÇA ESTÁ AQUI E VEIO PARA FICAR

Não é somente sobre quais são os valores da sua empresa, mas se eles realmente expressam com autenticidade seu propósito e se são difundidos nas melhores práticas tanto para o negócio quanto para os colaboradores. Se não é esse o caso, não adianta se preocupar em oferecer remunerações fora da média do mercado, um bônus absurdo, benefícios em excesso. Isso pode ser até um fator para captação de talentos, mas não para sua retenção. Recursos financeiros existem e são possíveis de se encontrar em abundância no mercado, se você não é a Amazon ou a Apple, é quase certo que exista um peixe maior e seus colaboradores sabem disso. O que vai aproximá-los de uma trajetória longeva em sua empresa é justamente ter a afinidade cultural que trará o senso de pertencimento e a relação com uma equipe que partilha dos mesmos objetivos. Estimular e incentivar seus colaboradores financeiramente, lhes dar uma perspectiva de carreira e fazê-los almejar um cargo de liderança e prestígio são iniciativas de valor, sim, mas a questão é que elas já não têm o mesmo peso se não forem inseridas em um contexto maior

E essa mudança de paradigma já está acontecendo, queiramos ou não. Dentre os principais fatores que realmente vão fazer a diferença na hora de reter um talento, transparência nas relações de trabalho, valorização do conhecimento e da atitude e impacto de sua respectiva função no mundo real são três temas centrais que profissionais estão levando em alta conta antes de iniciar sua trajetória em uma companhia. Com o advento da internet e o crescente hábito de pesquisa sobre empregadores, essa transformação não vai esperar concordância das empresas, ela já está acontecendo e é inevitável. Pensar em definir uma cultura compatível com o objetivo de negócio de sua empresa é urgente, saber como difundi-la e como identificar esses elementos em seus colaboradores também.

E A CRISE GLOBAL? ELA NÃO MUDA NADA?

A crise global foi um divisor de águas na maneira com a qual nos relacionamos com o trabalho, mas ela está mais próxima de ter acelerado essa mudança do que o contrário. Durante o período de isolamento, com o home office e o distanciamento social, o desafio de manter a performance e a coesão das equipes ficou ainda maior. O que irá facilitar a transição para essa nova filosofia de espaço de trabalho é justamente o propósito guiando esses profissionais, que agora estarão mais tempo em casa. Seus colaboradores terão mais afinco no dia a dia de trabalho em casa se eles compreenderem e abraçarem a causa de sua empresa, sentindo verdadeiro significado na função que cumprem tanto para o negócio quanto na sociedade. Quando ele está engajado e vê esse valor, não importa de onde ele vai trabalhar, pois seu foco está nas entregas que ele tem para fazer

E COMO SE ADAPTAR À DÉCADA CULTURE FIRST?

Essa é uma pergunta com várias respostas. O processo de fortalecimento da marca empregadora e da cultura organizacional não é fácil, mas certamente não impossível. Esse processo é não linear e não tem uma fórmula pré definida. Mas existem, felizmente, muitos recursos que podem ajudar sua empresa não só nessa transição, mas na garantia de que sua cultura seja bem difundida dentro de sua empresa e que os novos contratados estejam alinhados com ela. Através de nossa solução de Fit Cultural, o WeFit, somos capazes de fazer um mapa de cultura de sua empresa e propor ações de melhoria para a equipe ou individualmente, além de qualificar novos candidatos em relação a sua aderência cultural. Dessa forma, contribuímos para ciclos mais longevos e cheios de realizações, melhorando a relação do colaborador com seu emprego e, obviamente, elevando a performance do seu negócio

To go places and do things that have never been done before – that’s what living is all about.

Space, the final frontier. These are the voyages of the Starship Enterprise. Its five-year mission: to explore strange new worlds, to seek out new life and new civilizations, to boldly go where no man has gone before.

As I stand out here in the wonders of the unknown at Hadley, I sort of realize there’s a fundamental truth to our nature, Man must explore, and this is exploration at its greatest.

Autoria Otto Ribeiro. Imagem de mentatdgt no Pexels .